Crônicas

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Idade Cornológica


Um dia tudo que você mais teme na vida irá te pegar numa virada de quarteirão: Suas orelhas irão crescer. Vai perder o sono às oito da manhã. Uma gripezinha irá durar três semanas. A lista de compras do supermercado irá se resumir em sopinha, fralda geriátrica e fixador de dentadura... Enfim...


Porém, muito antes disso acontecer, provavelmente você enfrentará a mais temível das condições humanas: A idade cornológica.

Idade cornológica: uma contemplação irrevogável!

Não existe idade cronológica para a idade cornológica. É que nem consórcio, quando você menos espera é contemplado!

Se na aritmética do amor 2-1 = Nada, na equação do corno 1+1 (x1) = 3...

Ahhhh, o amor.

Tão complexo quanto atualização de Iphone no Itunes, o amor surge por simbiose cósmica, cresce por algumas intersecções mútuas e é traído por algumas derrapadas singulares.

Trair é a coisa mais fácil do universo, seguida de enganar uma criança, esquartejar uma criança e enforcar uma criança.

A traição só é complexa no “passo a passo” da língua portuguesa, chifrada, quer dizer, cifrada pelo professor Pasquale Cipro Neto:

Segundo ele, os termos traição e amor são contextos parônimos, ou seja, apresentam sentido diferente, porém, para quem trai, são palavras homófonas, ou seja, possuem o mesmo sentido de razão.

Oi?

Não existem meias verdades por trás das traições amorosas assim como não existe preferência de autoria; mulher trai tanto quanto homem nos dias modernos e corriqueiros de hoje, basta uma acomodação para a saliência posterior na cabeça surgir.

Porém, antes de trair, a pessoa reluta, pensa e repensa nos acontecimentos posteriores, mas depois que trai fica difícil não repetir a dose. Isso é fato!

Você consegue comer um bis de limão sem devorar a caixa inteira? Consegue tomar meio gole de Yakult? Resiste ao cheiro de um pote de Nutella sem devorá-lo?

Pois bem, então não consegue trair somente uma vez!

Engraçado mesmo é avaliar a estupidez impensada do traidor: No começo os encontros são às escuras, depois, paulatinamente, se sucedem dentro do carro, atrás do poste, naquele restaurante rústico de esquina em pleno meio dia, enfim...

Depois, com o passar do convívio e da merda da intimidade, o sujeito aceita as sugestões de outro traidor e se sujeita a pegar a sujeita em qualquer cenário menosprezando a confiança em não ser pego com a bunda na latrina (você entendeu o trocadilho, certo?).

Insisto em dizer (e vou contra a maioria das pessoas em minha tese) que só traímos porque não pensamos nas conseqüências e sim na satisfação imediata da cabeça debaixo.

Mas e as mulheres? Por que elas traem?

Ao invés de me oferecer como cobaia, estou pensando em difundir uma enquete, que tal? Melhor que ser um hamster com chifres, certo?

10 comentários:

  1. Grande André,

    Na posição de compromissado, me nego a dizer o que penso sobre este texto, mas quem sabe um dia, hahahahah

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Já fui chifrado, aí larguei da dita cuja e hoje estou feliz! Se um dia for chifrado de novo a gente muda de novo, hahahahaha! Belo texto, bem alegre sobre um assunto tão triste!

    Passa lá no blog!

    ResponderExcluir
  3. Só tenho a dizer o seguinte:

    Pra mim traição rima com insatisfação. Se estou insatisfeita trato logo de cair fora antes que o inevitável aconteça.

    ResponderExcluir
  4. André?

    Não precisa fazer enquete, assim como a Ju acima, acho que insatisfação é a mola para futuros deslizes...

    Assistência, concorrência, lembra?

    bjks a todos

    Corina

    ResponderExcluir
  5. Boa

    Eu ja trai e ja fui traida, mas n guardo magoa do cara q me traiu pelo contrario conversamos numa boa...Tudo isso é passado e eu era muito nova hahahah

    Mas hj ja não se perdoaria uma traição, mas sei que hoje não sou capaz de trair...eu penso que se vc quer ficar com outras pessoas não tem pq ter um relacionamento. A traição impede vc e seu parceiro de encontrar uma outra pessoa.

    BJKZ

    ResponderExcluir
  6. A falta de cuidado é o principal motivo, se bem que hj muita gente trai por trair...

    ResponderExcluir
  7. Hahahahahah, idade cornológica foi ótema!

    Acho que todo mundo já traiu e já foi traído, então....

    É isso gente...

    bjks

    ResponderExcluir
  8. eu acho o seguinte...
    todo mundo é humano e passivel de erros..o que é bem diferente de desconsiderar ou banalizar isso....que seria ser hipocrita e banalizar o sentimento alheio...
    e..sim..eu resisto a uma caixa de bis..a um pote de nutela...

    ResponderExcluir
  9. Concordo com o Felipe!

    ResponderExcluir
  10. Não condeno ninguém por ser infiel, contanto que não seja meu marido.Acho ótimo qdo um casal pode ter uma relação aberta,mas na prática, esse tipo de coisa é demais para minha cabeça.E tem tbém mais uma coisa, se eu falar a favor, sou depravada e se for contra sou moralista.
    Sei que o amor não pode ser uma prisão para as emoções e os desejos, mas tbém sei que a vida é um regime de trocas e que nessas trocas abrimos mão de certas coisas em favor de outras.A escolha é nossa.

    ResponderExcluir